Doença Ocupacional ou Doença do Trabalho

Compartilhe:

Assine nossa newsletter

Sua saúde física está dando defeito? Cuidado! Pode ser resultado da atividade profissional que você exerce. Talvez você nem perceba, mas a função que desempenha diariamente pode estar te prejudicando. Isso é muito sério, pois o seu trabalho pode te deixar doente. No Brasil, o número de trabalhadores doentes não para de crescer e esse diagnóstico tem nome: Doença Ocupacional ou Doença do Trabalho.

Doença Ocupacional ou Doença do Trabalho: conheça as diferenças

Apesar de as Doenças Ocupacionais e do Trabalho estarem diretamente ligadas à função profissional do trabalhador, existem diferenças entre elas que precisamos compreender. As Doenças Ocupacionais estão mais relacionadas com a atividade desempenhada pelo trabalhador. Tem a ver com a função que cada indivíduo executa. Já as Doenças do Trabalho geralmente ocorrem pelas más condições do ambiente de trabalho onde o funcionário realiza as suas tarefas.

Vamos esclarecer melhor dando exemplos. A Doença Ocupacional pode atingir o trabalhador que precisa obrigatoriamente cumprir a sua meta realizando tarefas que exigem esforços repetitivos e contínuos com as mãos, por exemplo. Desta forma, com o tempo, essa situação vai afetar músculos, nervos, ligamentos e tendões. Então, o trabalhador passa a sentir dores nos membros, sofre com queimações e inflamações nesses locais. Ele também pode perder a sensibilidade, e apresentar outros sintomas que a lesão poderá provocar.

No caso da Doença do Trabalho, os riscos de o trabalhador ficar doente ocorrem quando o local não oferece as condições necessárias em termos de instalações, ou as ferramentas que ele utiliza para realizar suas funções não são adequadas ou não dispõe de equipamentos para a sua autoproteção. Basicamente, tem a ver com o ambiente de trabalho (estrutura física) e com as ferramentas necessárias de cada atividade profissional (equipamentos e EPIs).

DORT e fraturas são problemas que mais atingem os trabalhadores com doença ocupacional e doença do trabalho

Entre os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho ou DORT mais frequentes estão as tendinites que atingem particularmente ombros, cotovelos e punhos. São comuns também as dores na região lombar (lombalgias) e as dores musculares (mialgias) em diversos locais do corpo. As causas da DORT no trabalho ocorrem principalmente quando o trabalhador realiza movimentos repetidos em excesso ou, quando sua postura fica incorreta no desempenho da função. Outros motivos também
podem ser relacionados, como a falta de preparo físico, a ausência de pausa e descanso, ou ainda por causa das jornadas excessivas de trabalho, entre outras situações.

Em relação às Fraturas, as de mãos e punhos lideram o ranking de acidentes no trabalho. As fraturas ocorrem principalmente pelo uso incorreto dos equipamentos de proteção individual (EPIs), ou por falta
deles. As mãos e punhos são membros complexos do corpo, pois são formados por muitos ligamentos e ossos e, por isso, geralmente causam o afastamento no trabalho. Este é o motivo central de o Ministério do Trabalho promover a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Canpat), que busca conscientizar a prevenção. Para se ter um ideia, os casos de ferimentos do punho e da mão, fratura do
antebraço e amputação traumática ao nível do punho e da mão, estão entre os dez primeiros itens da lista do INSS.

No Brasil, o número de trabalhadores doentes não para de crescer e esse diagnóstico tem nome: Doença Ocupacional ou Doença do Trabalho.
Doença Ocupacional ou Doença do Trabalho: o seu trabalho pode te deixar doente. Imagem: Freepik

Acidentes de trabalho aumentam 35% em SC

As notificações de acidentes de trabalho em Santa Catarina subiram 35% em 2021 em comparação ao ano anterior. No total, foram 38,6 mil registros somente no ano passado. Esta foi a segunda maior alta no número de notificações no país, com Santa Catarina ficando atrás apenas de Roraima (+53%).

Os dados atualizados fazem parte do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho, desenvolvido e mantido pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).

Os setores econômicos com mais notificações de acidentes de trabalho foram atividades de atendimento hospitalar, abate de suínos, aves e outros animais pequenos e fundição de ferro e aço. As lesões mais frequentes foram fraturas, cortes e contusões.

Mecanismos de proteção do trabalhador

Diversas situações no ambiente de trabalho põem em risco a saúde do trabalhador. Fatores que facilitam o desenvolvimento de Doenças Ocupacionais ou Doenças do Trabalho. Mas, sim, é possível prevenir esses tipos de ocorrências. Com a atenção adequada, além de atuar para garantir a assistência médica, as empresas contratantes da mão de obra devem avaliar as condições que disponibilizam para seus colaboradores trabalharem.


Fazem parte das responsabilidades fornecer equipamentos e estrutura adequados, além de treinamentos e capacitação dos trabalhadores para prevenir as Doenças Ocupacionais e as Doenças do Trabalho. Promover o diálogo de forma constante, incentivar e cobrar os cuidados preventivos de
parte do trabalhador também garantem bons resultados no combate aos males que afetam a saúde dos trabalhadores. Todos ganham com isso: empresas e trabalhadores.


Falar sobre as doenças que atingem os profissionais e conhecer mais sobre elas é muito importante. Isso faz com que, ao identificar situações suspeitas ou problemáticas, os gestores e colegas de trabalho possam diminuir as ocorrências envolvendo doenças no setor profissional. Manter a saúde dos funcionários em dia é interessante para a empresa. Afinal, são os trabalhadores a força de trabalho e a garantia de produtividade do empreendimento. Com saúde e bem-estar do trabalhador vem rendimento, crescimento, expansão e lucratividade.

Acompanhe nossas redes sociais e saiba mais sobre os temas Doença Ocupacional ou Doença do Trabalho.

Contato:

Buscar:

Posts mais recentes:

Fale com um especialista:

Fale com a Dal Piaz