Doenças ocupacionais comuns em frigorífico

Compartilhe:

Assine nossa newsletter

Síndrome do Desfiladeiro Torácico, Síndrome do Tunel do Carpo, Epicondilite e Dedo Gatilho, o que elas têm em comum? Vou explicar, todas são doenças ocupacionais comuns em frigorífico e estão relacionadas aos membros superiores.

O esforço repetitivo, a má postura e permanecer por longo tempo na mesma posição para realizar o trabalho, pode desencadear qualquer um desses problemas. Abordaremos detalhadamente cada uma das doenças ocupacionais comuns em frigorífico a seguir.

Doenças ocupacionais comuns em frigorífico
 Doenças ocupacionais comuns em frigorífico. (Foto: shutterstock)

Síndrome do Desfiladeiro Torácico (SDT)

A Síndrome do Desfiladeiro Torácico (SDT) ocorre devido à compressão neurovascular. E o que isso significa? Quer dizer que nervos (neuro) e vasos sanguíneos (vascular) são comprimidos causando sintomas. Por ser uma síndrome, pode-se dizer que existem diferentes causas que levam a esse mesmo quadro, e uma somatória de diferentes sintomas.

A SDT refere-se às estruturas do chamado desfiladeiro torácico, região entre a primeira costela e a clavícula – esta pode ser palpada do ombro ao centro do corpo, em ambos os lados do pescoço. Dentro desta região passa um importante conjunto de nervos que vem da lateral do pescoço, chamado plexo braquial, assim como a artéria subclávia e a veia de mesmo nome. Se essas estruturas forem afetadas, a síndrome poderá se fazer presente.

Os principais sintomas da Síndrome do Desfiladeiro Torácico são:

  • Dor no braço, mão, ombro ou pescoço;
  • Sensação de formigamento ou queimação no braço, mão e dedos;
  • Fraqueza ou dificuldade para movimentar o braço;
  • Fraqueza no pescoço, braços ou tórax;
  • Inchaço dos braços, mãos ou dedos;
  • Mãos e dedos roxos ou pálidos;

Uma Síndrome de Desfiladeiro comum e bastante conhecida é o Túnel do Carpo. Continue a leitura que vamos falar sobre ele na sequência.

Síndrome do Túnel do Carpo

A Síndrome do Túnel do Carpo é uma neuropatia resultante da compressão do nervo mediano no canal do carpo, estrutura anatômica que se localiza entre a mão e o antebraço.

Através desse túnel rígido, além do nervo mediano, passam os tendões flexores que são revestidos pelo tecido sinovial. Qualquer situação que aumente a pressão dentro do canal provoca compressão do nervo mediano e a Síndrome do Túnel do Carpo.

A causa principal da Síndrome do Túnel do Carpo é a Lesão do Esforço Repetitivo (LER), gerada por movimentos repetitivos.

O principal sintoma é a parestesia, uma sensação de formigamento, de dormência, que se manifesta mais à noite e ocorre fundamentalmente na área de enervação do nervo mediano. A evolução da síndrome dificulta manipular estruturas pequenas e executar tarefas simples como pregar um botão e até segurar uma xícara.

Outro problema do esforço repetitivo relacionado ao trabalhador do ramo frigorífico é a Epicondilite.

Epicondilite ou tendinite

A Epicondilite é a inflamação dos tendões (tendinite) extensores dos músculos do antebraço, na região do epicôndilo, que provoca dores no cotovelo, e pode variar bastante de intensidade.

A Epicondilite Lateral é causada por movimentos repetitivos que lesionam os tendões do cotovelo. Tem alta incidência na população geral e predomina entre os 35 e 55 anos, acomete ambos os sexos na mesma proporção. Também é conhecida por muitas pessoas como cotovelo de tenista.

Dentre as causas de epicondilite lateral estão os esforços excessivos de extensão do punho e dedos, com o cotovelo em extensão, supinação do antebraço e extensão brusca do cotovelo (movimento que os pedreiros fazem ao chapiscar paredes, por exemplo).

A epicondilite lateral tem sido descrita em trabalhadores de fábricas de linguiça, cortadores e empacotadores de carne e de frigoríficos em que se desenvolvam atividades com movimentos repetitivos de dorso flexão (extensão) ou desvio radial de punho, supinação de antebraço, esforço estático e preensão prolongada de objetos, principalmente com punho estabilizado em extensão e supinação repetidas e compressão mecânica de cotovelo.

Outra doença ocupacional comum em frigorífico que vamos abordar é o Dedo em Gatilho, uma lesão provocada pelo esforço repetitivo e também tem a ver com a posição laboral do trabalhador.

Dedo em Gatilho ou Dedo Travado

O Dedo em Gatilho ou Dedo Travado é uma condição em que um dos dedos da mão trava na posição dobrada, podendo ocorrer um estalo quando o dedo passa da posição dobrada para esticada ou da posição esticada para dobrada, como um gatilho sendo puxado e liberado.

 O dedo em gatilho ocorre quando a bainha do tendão afetado fica inflamada, interferindo no movimento normal de deslizamento do tendão pela bainha. A inflamação prolongada da bainha pode produzir cicatrizes, espessamento e a formação de nódulos no tendão que impedem ainda mais o movimento. Se o Dedo no Gatilho for grave, pode travar na posição dobrada.

Os sintomas podem variar em frequência e intensidade:

  • A sensação de estalo quando estica ou dobra o dedo;
  • Sensibilidade ou nodulação na palma da mão na base do dedo afetado;
  • Rigidez dos dedos, principalmente pela manhã;
  • Travamento do dedo na posição dobrada, que repentinamente estala em linha reta;
  • Dedo travado em uma posição dobrada são alguns dos principais sintomas.

Síndromes do esforço repetitivo

Todos esses problemas que relacionamos acima têm praticamente a mesma origem. São as condições em que o trabalhador realiza suas funções que ocasionam uma sobrecarga no sistema musculoesquelético em função de movimentos constantes ou esforços que provocam dor, inflamação e o comprometimento funcional da região afetada. Isso pode levar ao afastamento do trabalho e causar limitações.

tratamento para cada um desses problemas. Porém, a prevenção é o melhor remédio para as doenças ocupacionais comuns em frigorífico. E isso tem a ver com corrigir a postura, evitar o excesso de carga horária, fazer pausas regulares nas atividades repetitivas e fazer atividades físicas de fortalecimento e compensação. Acompanhe o escritório também no Facebook e Instagram.

Contato:

Buscar:

Posts mais recentes:

Fale com um especialista:

Fale com a Dal Piaz