Choque elétrico, trabalhador em risco

Compartilhe:

Assine nossa newsletter

O profissional que presta serviços com instalações e equipamentos elétricos está sempre em risco de choque elétrico. Esse tipo de trabalho deve ter atenção redobrada e todo cuidado e proteção para evitar acidentes. Basta um pequeno descuido para que um problema sério ou uma tragédia possa ocorrer.

O trabalhador da área de elétrica também tem amparo garantido pela lei, pois é uma atividade laboral.

Choque elétrico, risco eminente

Quem trabalha com eletricidade sabe que está exposto a riscos e o assunto é sério. Quando a corrente elétrica passa atráves do corpo pode ocorrer queimaduras, paralisia muscular, laceração de membros e até mesmo a morte.

O Brasil registra mais de 1,5 mil acidentes com choque elétrico por ano. Somente no ano passado, foram mais de 700 mortes. Por isso, é importante falar sobre esse assunto, quanto mais pessoas orientadas sobre choques elétricos, maior será a prevenção e menor a quantidade de acidentes registrados.

O corpo humano não possui nenhum sistema interno de proteção contra o fluxo de corrente elétrica. Por isso, uma descarga elétrica pode levar facilmente uma pessoa à morte.

Além disso, mesmo que a pessoa não morra em decorrência do choque, as correntes elétricas superiores a 200 mA causam graves queimaduras no corpo do indivíduo. Portanto, o trabalho com eletricidade exige procedimentos padronizados e treinamento específico para que se evite acidentes.

Altos riscos, atenção à proteção

Algumas questões relacionadas ao trabalhador da área de elétrica precisam ser ditas, discutidas e compartilhadas. Então, vamos la!

A primeira e indispensável ação, tanto do profissional, quanto da empresa que contrata o trabalhador para funções ligadas à eletricidade, é fornecer os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Também exigir o uso e fiscalizar a utilização, mas, antes disso, treinar, capacitar, orientar, incentivar e constantemente garantir a atualização dos trabalhadores para suas funções.

Capacitação de profissionais que correm risco de choque elétrico

Existem dois tipos de treinamento que se aplicam aos profissionais que atuam com eletricidade, segundo a NR 10. Para os profissionais que atuam diretamente com circuitos energizados com classe de tensão até 1000v, existe o treinamento básico. Outro tipo de treinamento é o direcionado a atividades relacionadas ao Sistemas Elétricos de Potência (SEP). Que é realizado com o objetivo de capacitar os profissionais que exercem suas atividades dentro de zonas de controle de risco com circuitos energizados com classe de tensão acima de 1000v.

O treinamento em ambos os níveis é importante, mas para o SEP é ainda mais, pois os trabalhos que envolvem eletricidade têm sério risco de acidentes caso não sejam seguidos corretamente os procedimentos e normas de segurança.

Saiba que, quando o circuito está energizado acima de 1000v, ou seja, quando os serviços envolvem Alta Tensão (AT) o risco é aumentado. Ele se dá tanto pelo descumprimento de norma quanto pela instalação elétrica realizada sem a observação dos procedimentos corretos. Este último pode gerar instalações ineficientes ou mal feitas. A consequência pode ser incêndios, grandes curtos-circuitos, entre outras falhas, ou seja, consequências desastrosas.

O treinamento promove a segurança dos profissionais que exerçam atividades com eletricidade, pois estabelece os procedimentos corretos na intervenção de linhas elétricas energizadas ou em suas proximidades. O trabalhador capacitado sobre o planejamento de atividades e a maneira segura estará mais protegido.

Eletricista - Risco de choque elétrico
Eletricista – Risco de choque elétrico (Fonte: Freepick)

Choque elétrico, primeiros socorros

O segundo passo e também fundamental à proteção do profissional da área de eletricidade e, por consequência, da empresa que o contrata é o conhecimento sobre os primeiros socorros em casos de acidentes. Porque os primeiros socorros às vítimas de choque elétrico são essenciais para que os danos à saúde e até mesmo a morte dessa pessoa sejam evitadas.

Passo a passo das primeiras providências:

  • Corte ou desligue a fonte de energia, mas não toque na vítima;
  • Afaste a pessoa da fonte elétrica que estava provocando o choque, usando materiais não condutores e secos como a madeira, o plástico, panos grossos ou borracha;
  • Chame uma ambulância, ligando para o SAMU – 192;
  • Se a vítima estiver inconsciente, siga os procedimentos de primeiros socorros de Suporte Básico de Vida. Ou seja: Caso ela esteja inconsciente, mas respirando, vire a pessoa de lado na posição lateral de segurança. Se a vítima de choque elétrico não estiver respirando, realize massagem cardíaca e respiração boca a boca até que os seus sentidos retornem ou até o atendimento especializado chegar.

Adicional de Periculosidade Eletricista – Os direitos do profissional

Vamos tratar dos direitos do trabalhador da área de eletricidade. Adicional de Periculosidade Eletricista é um direito e uma garantia.

A lei 12.740/2012, revogou a lei 7.396/85. Desta forma, os novos critérios que estabelecem quais os trabalhadores têm direito ao Adicional de Periculosidade por Energia foram estabelecidos pela Portaria 1.078 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), de 17 de julho de 2014 que aprova o Anexo 4 da Norma Regulamentadora 16 (NR 16), “Atividades e operações perigosas”.

Segundo a NR 16, algumas atividades envolvendo eletricidade têm direito ao Adicional de Periculosidade enquanto outras não.

Tem direito ao Adicional de Periculosidade:

  • Trabalhadores que executam atividades ou operações em instalações ou equipamentos elétricos energizados em alta tensão;
  • Trabalhadores que realizam atividades ou operações com trabalho em proximidade;
  • Trabalhadores que realizam atividades ou operações em instalações ou equipamentos elétricos energizados em baixa tensão no Sistema Elétrico de Consumo (SEC),  no caso de descumprimento do item 10.2.8 e seus subitens da NR10 – Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade;
  • Trabalhadores das empresas que operam em instalações ou equipamentos integrantes do Sistema Elétrico de Potência (SEP), bem como suas contratadas, em conformidade com as atividades e respectivas áreas de risco.

Não tem direito ao Adicional de Periculosidade:

  • Nas atividades ou operações no sistema elétrico de consumo em instalações ou equipamentos elétricos desenergizados e liberados para o trabalho, sem possibilidade de energização acidental, conforme estabelece a NR-10;
  • Nas atividades ou operações em instalações ou equipamentos elétricos alimentados por extra-baixa tensão;
  • Nas atividades ou operações elementares realizadas em baixa tensão, tais como o uso de equipamentos elétricos energizados e procedimentos de ligar e desligar circuitos elétricos, desde que os materiais e equipamentos elétricos estejam em conformidade com as normas técnicas oficiais.

Vale ressaltar que, segundo a NR 16, o trabalho intermitente com eletricidade é equiparado à exposição permanente e requer o pagamento integral no período em que o trabalhador for exposto ao risco. Só é vedado o pagamento quando a exposição for eventual, ou seja, quando o risco de choque não faça parte da rotina do trabalhador.

Adicional de Periculosidade para Eletricistas: Sistema Elétrico de Consumo

Como vimos acima, a NR 16 estabelece que em determinadas situações os trabalhos realizados no Sistema Elétrico de Consumo tem direito ao pagamento de Adicional de Periculosidade, em outras situações o adicional não é devido.

Para compreender a determinação da NR 16, devemos esclarecer que Sistema Elétrico de Consumo é o conjunto de instalações elétricas que existem em residências, lojas, escritórios, e etc., ou seja, na unidade consumidora de energia elétrica.

Conclusão

Existem algumas particularidades importantes tanto sobre os direitos quantos os deveres dos trabalhadores no setor de eletricidade. Essa responsabilidade é compartilhada, pois não depende somente do profissional que está executando o serviço, mas de todos, incluindo os colegas do setor e, obviamente, da empresa contratante do profissional. Por isso, quanto mais conhecimento, melhor!

Amigo trabalhador! Você pode continuar se informando sobre seus direitos no nosso Facebook e Instagram.

Contato:

Buscar:

Posts mais recentes:

Fale com um especialista:

Fale com a Dal Piaz